sexta-feira , 20 janeiro 2017
Início / Dicas / Introdução a filtros digitais – Parte 2 – Linkwitz-Riley

Introdução a filtros digitais – Parte 2 – Linkwitz-Riley

Hoje vamos falar sobreo filtro Linkwitz-Riley.

 

Se você não leu a parte 1 CLIQUE AQUI

Crossover Linkwitz-Riley 12dB/oct

Os filtros Linkwitz-Riley (LR12), diferentemente dos Butterworth, apresentam uma atenuação de -6dB na frequência de corte, independente de sua ordem. Isto ocorre porque o LR é o resultado de 2 filtros Butterworth em série.

Linkwitz-Riley

O resultado desta característica fica clara quando ocorre a superposição das vias, que ocorre de modo perfeito, isto é, sem o ‘calombo’ observado nos filtros Butterworth quando em soma.

Linkwitz-Riley

Devido ao fato dos filtros serem de segunda ordem, ocorre o mesmo efeito observado anteriormente, a defasagem de 180 graus entre os filtros low-pass  e highpass. A solução adotada é a mesma, a simples inversão de uma das vias.

Linkwitz-Riley

Caso a fase de uma das vias não seja invertida, observa-se a ocorrência do notch na frequência de crossover.

 

Crossover Linkwitz-Riley 24dB/oct

Os filtros Linkwitz-Riley de quarta ordem, como dito anteriormente, também apresentam atenuação de -6dB nas frequências de corte.

Linkwitz-Riley

Resultando na superposição perfeita das vias.

Linkwitz-Riley

Devido ao fato do filtro ser de quarta ordem, como visto anteriormente não ocorre a defasagem entre as vias.

Linkwitz-Riley

Sendo assim, não há a necessidade de inversão de uma via para que a superposição ocorra de modo perfeito.

Linkwitz-Riley

Na parte 3 falaremos sobre o filtro Bessel, aguardem!

 

 

Fontes:

– AES 2015 – Filtros utilizados em processadores digitais de sistemas ( Walter Ulmann )
-EAM- Processamento digital de P.As (Vitorio F. Massoni / Homero S. Silva )
-AUDIOHOLICS- Filter Crossover Types for loudspeakers (Genne DellaSala )
-ETELJ- Estudo básico sobre crossovers ( João Rossi Filho )

 

Sobre Douglas Barba

Iniciou sua carreira profissional em 2006 , formado pelo IAV e SENAC trabalha atualmente como técnico de monitor da dupla sertaneja Maick & Lyan tendo trabalhado em outras bandas e trabalhos como: Ao Cubo ,Funk Como Le Gusta , Léo & Júnior , Tuta Guedes , Rapadura , Rodriguinho, Musical O Corcunda de Notre Dame , Musical O Peixonauta , Band , ESPN Brasil , Rit TV.

Confira também

in ear estereo

Razões para mixar “in ear” estéreo

Porquê podendo mixar todas as saídas para in ear estéreo insistem em usar mono ? Quero aqui neste post deixar algumas razões para usar sua mixagem para in ear estéreo.

  • Denio Costa

    Douglas, na frase: Caso a fase de uma das vias não seja invertida, observa-se a ocorrência do notch na frequência de crossover, polaridade não caberia melhor que fase?
    Obrigado!

    • Douglas Barba

      Com certeza mestre Denio , até porque se trataria de uma inversão de 180graus. Fica essa correção ai