fbpx
quinta-feira , 6 maio 2021

Caixa cachorro – Sua caixa morde ou late?

 

Quem já ouviu a tal caixa de forró (paredão) e já ficou indignado ou curioso? 

Caixa cachorro

Tantas técnicas envolvidas, tipos de microfones, distância, parâmetros, inserts… Por aí vai. São várias as formas de se chegar ao timbre desejado de um instrumento. Estava refletindo aqui em casa sobre as diferentes formas de obter um som legal na caixa da bateria, partindo do principio em sua captação. Nada como o velho SM 57 de guerra não é?

Há quem não goste de captar a esteira e somar ao som da mesma peça., enfim. Falando de captação existem realmente várias técnicas por aí. Caixa pop, caixa rock and roll, caixa isso… caixa aquilo… Afinal… Vêm pra Caixa você também…! … (Hehehehehe)

A Polêmica da “Caixa Cachorro”

De uns tempos pra cá, alguns questionamentos entre os amigos técnicos tem reservado minha atenção para o tema. Vivenciei por um bom tempo a mixagem de um estilo musical que sofreu uma “mutação” podemos dizer assim. O forró realmente não é mais o mesmo de uns tempos pra cá. Entre tantos instrumentos que também destacam as mudanças de timbres dentro do estilo, como bumbo, hi hat e baixo por exemplo, quero me deter a famosa caixa. Denominada até de uma forma engraçada por nós cearenses de “caixa cachorro” pela característica acentuada na região médio grave, lembrando um latido… (KKKKKKKK, bom demais… KKKKKKKK).

LUA - Mascote da Terça Técnica de Fortaleza
LUA – Mascote da Terça Técnica de Fortaleza

Acredito que a turma do tal paredão foram os grandes responsáveis pela exploração desse timbre que divide opiniões. E pra agradar esses “ouvidos” alguns técnicos tem lá suas formas de obter tal som. Porém acredito que na maioria dos técnicos que trabalham no forró, conheço muitos que não fazem esse tipo em suas mix’s. Mas de certa forma “a caixa” é peça fundamental na mix deles. Cada um com sua assinatura podemos dizer assim.

A reprodução desse instrumento de forma que se assemelhe aos paredões é que na verdade deixa muito dono de locadora de som de cabelo em pé, quando veem seus Lines serem açoitados como se fossem o tal paredão. Observei fatos que a caixa era tão absurda dentro da mix que o sistema não tinha sequer condições dinâmicas de trabalhar.

Absurdos no meu modo de ver e ouvir. O tal do 315hz, podemos dizer em alguma maioria, acompanhado de um insert acentuando ainda mais a região é o que tira o sossego de muita gente. Sei que alguns amigos que fazem até um trabalho diferenciado dentro estilo sofrem o preconceito de uma forma geral. Como disse antes, existem os que trabalham de forma coerente.

Antes de mais nada queria deixar dentro desse post que não há da minha parte crítica alguma ao estilo musical, apenas reflexões sobre um tema vivenciado entre alguns amigos do áudio a respeito. Não quero despertar preconceito e nem julgar de forma incoerente o tema. Sei que é polêmico e divide opiniões. Refletir sim é importante.

E você? Já ouviu algo sobre esse tema? Já viu alguma caixa latindo por aí?

Comente, participe…

Mesmo com o exagero demostrado aqui, com certeza alguém já ouviu a tal caixa cachorro por aí… Se não for algo parecido com isso, me ajude… Segue o som captado em sua forma normal e “alterado” para exemplificar um pouco.

(Agradecimentos a  Helismar de Sousa e  Fernando Maia pela foto de LUA).

CAIXA “NORMAL”

 

CAIXA COM PLUGIN “CACHORREYTOR”

 

Sobre Carlos Rossy

Carlos Rossy é colaborador do audioreporter, trabalha e mora atualmente em Curitiba-PR como técnico de PA da cantora Heloisa Rosa e no Studio Bamboo. Recentemente na locadora Somatéknica Audio Profissional e em bandas pelo nordeste. Escreve no seu próprio blog em www.carlosrossy.blogspot.com

Confira também

Quanto vai de Sub? - Parte 1 3

Quanto vai de Sub? – Parte 1

De tanto ver um interesse e procura no assunto subwoffer’s pelos técnicos na atualidade saí a procura de opiniões para compor as ideias nesse post.

18 comentários

  1. Não querendo ser preconceituoso, nem tanto externar minha eterna aversão a essa forma de trabalhar, mas esse áudio de forma exageradamente exagerada vem a insistir em sobreviver devido a sobrevivência desses ridículos paredões de som, geralmente mal alinhados, e escutados por pessoas que bebem demais. A Medicina Acústica nos prova que a perca da sensibilidade no áudio através da ingestão de bebida alcoólica está ligada diretamente a redução da faixa de frequência ouvida, onde a redução das pontas do espectrograma de frequência fica menos perceptível, fazendo assim que somente a região dos médios se sobressaia as outras, tornando assim o sonoro agradável pra quem escuta de forma embriagada, apenas essa faixa de médio agressiva. Então som alto será som bom, e neste caso somente com muito médio grave, alterando de vez com a forma verdadeira do que é realmente som. Isso é moda? Isso é estilo? pra mim não passa de aberração, sou contra mesmo tudo aquilo que torna uma aberração sonora… que inventem um instrumento que fale isso, mas que não de forje ao ridículo o que não é, por um punhado de bêbados que se acham. Não estou julgando esse tipo de som, simplesmente por não ser som…

  2. concordo plenamente com suas palavras, mais aqui em Fortaleza também existem os Técnicos rex que ficam enchendo o saco quando não fazemos esse tipo de som , e ficam nas nossas orelhas dizendo cade o som da caixa, cade o bumbo e ninguém consegue distinguir nada, ai voce ainda e criticado pelo dono do som que fica falando para Fortaleza inteira que seu audio foi uma porcaria. Ai o que dizer é namoro ou amizade? nessa horas é melhor ficar calado. Pois como o Emerson Duarte falou não existe técnico bom, existem alunos melhores que todos os dias aprendem uma novidade no audio. Sou apenas um aprendiz. sou fa de todos pois minha vida é essa. Parabéns Eduardo Frota e Rossy que não e o Reginaldo mais são inspirações para muito e sem falar da competência que tem.

  3. Seu plugin é o Cachorreytor, usam o SnareDog.. Kkkk Brincadeiras à parte, a verdade é que essa tal caixa cachorro desgraça qualquer mix e compromete a resposta do sistema nessa região de 200hz até 400hz.

  4. Quem faz o melhor som de caixa atire a primeira pedra… posso postar aqui no mínimo 10 sons diferentes da mesma caixa, o pq alguém se acha no direito de dizer o que é som ou não é, se não gosta ai tudo bem, é uma questão de gosto, agora citar o que é certo ou errado, ai nenhum aqui pode citar, se o interesse é tocar forte nos paredões essa é a caixa certa, se o interesse não é esse, então se busca outro som de caixa mais adequado ao propósito, acredito que operador de som bom é o que faz o que tem em mente, ñ sou contra a nenhum tipo de som, se eu não gosto não faço, mas se gosto faço sim, se meu interesse é que minha banda toque nos paredões, arregaço no caixa cachorro, cavalo, jegue seja qual for o que a galera escuta, da um de puritano nessas hrs não é o que faz a galera ouvir sua banda, mas se o interesse é apenas tocar na rádio, essa caixa que foi citada como normal é umas das tais que pode ser usada. Tudo é uma questão de fins, pra que, pra quem vc ta mixando. Certo ou Errado, se existe isso na música, ñ sei, aprendi que música é arte, e arte não existe certo ou errado, existe o que lhe agrada e o que lhe causa a sensação de desconforto, mesmo assim não deixa de ser arte…

  5. Carlos Rossy S Kramer

    Bacana ver todos os pontos de vista. Gosto sempre de despertar a boa discussão nesses posts… Abraço a todos!

  6. Interessante a mudança de som!!!
    Qual programa vc usou cara pra mudar totalmente os sons?

  7. Caramba apenas o cara deu a opinião dele so isso temos que aceitar galera isso faz parte.

    P r i n c í p i o s d a D e m o c r a c i a

    O desafio para uma democracia é o equilíbrio: defender a liberdade de expressão e de reunião e ao mesmo tempo impedir o discurso que incita à violência, à intimidação ou à subversão.

    Recebe o nome de liberdade de expressão a garantia assegurada a qualquer indivíduo de se manifestar, buscar e receber ideias e informações de todos os tipos, com ou sem a intervenção de terceiros, por meio de linguagens oral, escrita, artística ou qualquer outro meio de comunicação. O princípio da liberdade de expressão deve ser protegido pela constituição de uma democracia, impedindo os ramos legislativo e executivo do governo de impor a censura.

    Um debate livre e aberto sobre as questões nacionais fundamentais gera considerações positivas sobre a melhor estratégia a ser adotada na solução dos problemas daquela comunidade. Por isso, é fundamental a existência da democracia e de uma sociedade civil educada e bem informada cujo acesso à informação permita que esta participe da vida pública, fortalecendo as instituições públicas com sua influência. É aí que entra a liberdade de expressão, pois esta proporciona à coletividade uma gama variada de ideias, dados e opiniões livres de censura, que podem ser avaliados, e possivelmente, abraçados. Para um povo livre governar a si mesmo, deve ser livre para se exprimir, aberta, pública e repetidamente; de forma oral ou escrita.

    É importante salientar que sempre que esta garantia sofrer determinada restrição, esta deve ser caracterizada em parâmetros claros, estritos e inseridos dentro de uma conjuntura definida. A restrição legítima é bem diferente de abuso de poder e ilegalidade. Além disso, a liberdade de expressão não é um direito absoluto, o que significa que a manifestação pode descambar para a calúnia, difamação ou injúria, o que pode originar um processo ou resposta em reação à declaração feita.

    A constituição brasileira assegura aos cidadãos um amplo acesso à informação a partir de diferentes e variadas fontes, dentro de um ambiente democrático, que garanta as liberdades de expressão e de imprensa. Apesar de um bom repertório jurídico, acumulado desde a instauração da Nova República, em 1984, a legislação ainda não responde aos desafios políticos e sociais impostos e pela nova realidade social brasileira e, tampouco, atende à inquestionável revolução tecnológica pela qual passou e passa o setor. O país tem ainda de avançar em relação à diversificação de suas fontes de informação, ampliando-as a canais governamentais e comunitários.

    Muitos movimentos organizados para defender seus próprios direitos ainda são reprimidos, como aconteceu recentemente com a marcha da maconha, ou mesmo nas manifestações pela redução da tarifa do ônibus. Na atual conjuntura, a liberdade de expressão não se constitui em um direito pleno que pode ser exercido por todos. Há ainda outro problema em relação ao campo da mídia, (internet, TV, etc.), no qual o país ainda enfrenta defasagem em seu marco regulatório.

  8. só não manjo o que quer dizer ‘turma do paredão”, alguém explica por favor?

  9. Ae pra Galera que Queira fazer o caixa cachorro…heheheh
    Só lembro que esse é meu jeito de fazer, o que funciona pra mim, nada de Lei.
    Usamos um Caixa 10, uso insertado um EQ gráfico puxando a frequência fundamental do meu caixa, que no meu caso estar em 350 Hz + ou -, e puxo os agudos em geral. No EQ parametrico puxo ainda mais a freq fundamental do meu caixa e um pouco mais de agudo. sem esquecer do gate antes de tudo pra limpar legal, com auxilio do Key Filter e o Comp que é esquecido por muitos que tentam fazer esse TIMBRE, puxam nas frequências, mas acabam matando no comp…
    Valeu, espero ajudar a alguém que tenha o interesse de Fazer o caixa soar como essa anomalia do audio. kkkkkk

  10. É isso aí. Não sou fâ desse tipo de som, mas tmb não critico. Eu acho que eles apenas inovaram dando mais característiaca ao estilo. É muito bom quando uma modalidade de música desenvolve vida própria.

  11. uma coisa que percebo muito nas mix com esse timbre de caixa é que o som do baixo praticamente se some

  12. é realmente perturbador o som dessa caixa. kkkkkkkkkk
    lembro de ter ouvido isso(ou prestado maior atenção ao menos) pela primeira vez em alguma loja de eletrodomésticos que rolava um dos 7 milhões de cd de show pirata do aviões q tem por aí.
    Lembro de ter falado pra um amigo, que diabo de compressor é esse que transforma som de caixa em barulho de metrônomo digital?!
    kkkkkkkk
    forrozão devia usar mais daquela EQ tipo Red Hot, caixa agudésima e um baixão bem desenhado sem arroto sem berinmbauzagem…

  13. acho que cada estilo tem que ter seu timbre!!!então não critico é diferente mais pro estilo pode ter casado!!!

  14. ja ouvi sim. isso eh muito usado aki no ceara. na minha opinião , n eh necessário esse exagero de medio grave para fazer um timbre legal .mas alguns colegas gostam de açoitar os sons dos outros neh ….. ai ja se sabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: