sábado , 14 dezembro 2019
Início / Resenha / Mitos do Áudio revelados ! Parte #2

Mitos do Áudio revelados ! Parte #2

Vou mais uma vez causar polêmica e discussão com mais uma continuação deste post, pois sei que muita gente que segue o blog faz ou já fez, concorda ou discorda de alguns desses mitos que eu vou comentar agora:

 

1 – Cabos de alta qualidade melhoram o som.

Acredito,  mas não afirmo com 100% de certeza. Infelizmente é muito difícil criar um teste cego com isso, principalmente por causa da  nossa percepção das mudanças de som. Você pode reproduzir um som e um momento depois jogar o mesmo som através do mesmo sistema  e legitimamente ouvir a diferença,  porque o som é a percepção de padrões de variância de pressão através de um meio (geralmente ar). Percepção tem tanto a ver com a psicologia, uma vez que tem a ver com a física. Independentemente disso, as diferenças de condutividade ao longo de fiação diferentes do mesmo material é mínima.

Porém sabemos que bons conectores e cabos são melhores condutores de sinal do que aquele cabo que você comprou por R$2. Ou seja: TIRE SUA CONCLUSÃO.

2 – Durante a gravação, você obterá o melhor som mantendo o seu nível mais próximo do 0dbFS.

Este é decididamente falso. Isso aconteceu quando existia uma  preocupação com o nível de sinal que vai para digital em 16 bits.  Em 24 bits, você tem headroom de sobra  e perfeitamente limpo. Por outro lado, a maioria dos pré-amplificadores funcionam melhor em um nível de ganho que é significativamente menor que 0dBFS.

 Em outras palavras, mesmo que bater-1dbFS tem sido melhor em termos de digital, seria provavelmente deteriorar  a qualidade do sinal que vem de seu pré-amplificador. Então, naturalmente,o estágio analógico de um conversor  opera melhor  dentro de um certo nível (o que irá variar de item para item) – mas a maioria dos conversores tem sua função operatória  entre 20dBFS-and-10dbFS.

 

Aproveite a leitura deste post e clique aqui para  assinar nossa newsletter e receber no seu e-mail todos os posts!

 

3 – É possivel remover o vocal de uma música.

Vou apostar que este é falso. Algumas técnicas incríveis  foram desenvolvidas para remover som específico de um áudio impresso – no entanto, nada faz o trabalho completo. EQ, gate, compressão, inversão de polaridade, tudo isso  pode suprimir um vocal – às vezes muito bem, mas os vocais são a ” banda larga[bb]“.  Uma técnica mais estranha é a análise espectral, onde a pista completa é representada graficamente de acordo com a freqüência , amplitude e tempo. Padrões dentro o som pode ser rastreada e editado usando algo parecido com edição de foto e re-codificado em som. No entanto, mesmo esta técnica tem suas limitações principalmente quando se trata de vocais.

Leia :

 

 

4 –  Usar fones intra auriculares e/ou protetores de ouvido durante muito tempo, pode causar danos  auditivos.

Levando em consideração o tempo de uso, é falso!  No entanto, não há evidências mostrando que eles causam danos auditivos mais prontamente do que qualquer outro sistema de reprodução. A cautela é duas vezes redobrada. O “ear bud” fica muito perto do nosso ouvido interno, e nossa audição é adaptável.

Esta é uma combinação arriscada, porque quanto mais você ouvir a reprodução em um volume determinado, menos percebemos que o nível do volume como sendo “alto”.

Leia:

 

5 – Você precisa do melhor equipamento para fazer a melhor gravação.

Definitivamente Falso. Você precisa do equipamento  correto para a gravação, na verdade, você precisa de  ouvidos melhores  para fazer gravações melhores. Em vez de apenas investir em equipamentos, invista em conhecimento, invista em ouvir, invista em novas técnicas, invista em em melhorar seus ouvidos e adquirir conhecimentos.

 

Que outros mitos vocês conhecem?  Compatilhe conosco nos comentários logo abaixo!

 

Comente e divulgue esse post, conte sua experiência, pergunte!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

 

Este post foi inspirado num artigo de Michel Weiss do site http://theproaudiofiles.com

 

 

Sobre Diego Moreno

Fundador do site, Engenheiro de áudio, apaixonado por música, divide o tempo entre a estrada o estúdio e a constante atualização do site.

Confira também

Entrevista: Rafael Fadul

Nome: Rafael Fadul Idade: 23 anos Origem: São Paulo, SP Atualmente em: Los Angeles, California …

%d blogueiros gostam disto: