quinta-feira , 12 dezembro 2019
Início / Dicas / 5 Dicas para sua Masterização

5 Dicas para sua Masterização

Sabe quando um cliente não tem idéia do que é masterizar e não tem uma verba destinada pra isso?  Só acontece uma coisa: Você vai ter que masterizar sua própria mixagem e estas 5 dicas podem ser úteis nessa sua tarefa.

 

Vamos estabelecer uma coisa antes de mais nada: Masterização é para profissionais de Masterização.

Veja:

Video Chat com Carlinhos Freitas – Classic Master

Entretanto, se o orçamento está apertado e não teve jeito de convencer o cliente de mandar o disco para um profissional qualificado, aqui estão 5 dicas úteis para você não abandonar sua mixagem de qualquer jeito.

Use bons discos como referência

Um dos grandes desafios da masterização  (diga-se de passagem de uma mixagem também) é estabelecer uma referência. Na maioria das vezes ao trabalhar por muito tempo numa música, seus ouvidos se acostumam com o som e você acaba “perdendo a linha”.

Estabelecer uma referência é essencial. Comparar sua masterização com outras do mesmo estilo musical  é o primeiro passo para saber se você está indo pelo caminho certo.

Importe para sua sessão sua música de referência. Compare as duas. Você não precisa igualar exatamente com a sua referência, mas se você estiver próximo dela, certamente estará num bom caminho.

 

Confira, confira e confira novamente

Lembre-se que você é o último estágio antes do disco “ir pra rua”. Faça um check list antes de entregar ao cliente, confira se as músicas estão na ordem correta, números de ISRC, dados do cd-text, etc.

Se não precisar fazer nada disso, continue o processo de conferência agora em outras referências próxima as que o público vão ouvir. Queime um CD e escute no máximo de situações reais que conseguir, como: som automotivo, iPod, computador, som doméstico, etc…

Confira os fades, tempo de transição de uma faixa pra outra, etc…

 

Na dúvida, faça uma pausa.

Se você já comparou sua master com todas as referências possíveis, já ouviu em todos os lugares que pode encontrar e mesmo assim ainda está com dúvida se está bom …

Faça uma pausa

Isso também acontece com os melhores profissionais de masterização ( de mixagem também ). Tome o tempo que achar necessário ou que tiver disponível, uma hora, um dia, uma semana… Apenas volte quando tiver a certeza que já está pronto pra ouvir novamente e fazer as mudanças necessárias com paciência.

Após uma pausa depois de um longo tempo ouvindo a mesma música, tudo parece mudar. Você vai perceber detalhes que antes não havia notado. Nuances, pequenos ajustes, tudo isso vai ficar mais aparente quando você voltar.

 

Dê ao limiter um trabalho fácil

Um dos erros mais comum que cometemos quando vamos masterizar por conta própria é o uso abusivo do limiter.

Os maximizers da vida não são a varinha mágica que transforma sua mix e deixa ela no volume desejado automaticamente, ou pelo menos até hoje. A formula para atingir o “volume comercial”  dos hits da “Loudness war” se dá por uma somatória de fatores que funcionaram certo.

Uma boa mixagem em primeiro lugar, equalização corretiva (caso haja necessidade), uma gentil compressão e POR ÚLTIMO o limiter.

Um bom ponto de partida é não deixar que o limiter derrube mais do que -3db de gain reduction. Muitos engenheiros  usam muito menos do que isso.

 

Deixe o Multi-banda em paz

Outro equívoco comum sobre masterizações modernas é que o uso do compressor multi-banda é essencial. É provavel que você faça mais mal do que bem com o uso dele.

O uso do compressor multi-banda é indicado para situações bem específicas. Se sua mixagem é boa o bastante, você não deve nem pensar em compressão multi-banda. Compressores Multi-banda são  comumente usados por engenheiros de masterização profissionais para resolver problemas específicos, por exemplo de-Essing ou domar o grave excessivo do baixo. Raramente são utilizadas todas as bandas e mais raro ainda é usá-los como bus compressor.

 

Você estará masterizando bem quando conseguir grandes mudanças na música com uma série de pequenos ajustes. Se você precisa fazer muitos ajustes na masterização para atingir o resultado final, é um sinal de que algo está errado.

 

Artigo inspirado traduzido e modificado do original de Nick Lewis do site brightonmastering.co.uk

Sobre Diego Moreno

Fundador do site, Engenheiro de áudio, apaixonado por música, divide o tempo entre a estrada o estúdio e a constante atualização do site.

Confira também

Entrevista: Rafael Fadul

Nome: Rafael Fadul Idade: 23 anos Origem: São Paulo, SP Atualmente em: Los Angeles, California …

%d blogueiros gostam disto: