fbpx
terça-feira , 11 maio 2021

Direct Box / DI – Porque você precisa?

Você sabe mesmo o que é e porque você precisa de uma DI, conhecidas como Direct Injection ou simplesmente Direct Box?

Utilizadas para conectar instrumentos diretamente em Mixers, a principal função da DI é regularizar Impedância de sinal, para que esse seja gravado da forma correta. Outra definição, esta dada pela Whirlwind, excelente fabricante destes equipamentos, diz que direct box é um dispositivo casador de impedância e balanceador de sinais.

Um instrumento como uma guitarra ou baixo, por exemplo, gera sinais muito baixos para as entradas de mixers. Além disso, esse sinal tem uma impedância muito alta, o que não garante a transmissão desse sinal em uma longa distância sem interferências. Conectando o instrumento à uma DI usando o cabo Banana mono (Comum) e, a DI em um mixer usando um cabo Canon (balanceado – veja foto), o sinal chegará ao mixer com um nível e uma impedância adequada à entrada do sinal nesse sistema.

Direct Box / DI - Porque você precisa? 1
Ativos e Passivos

Reza uma lenda de que DI Ativos são melhores que DI Passivos. Depende da aplicação.

Passivos não necessitam de alimentação, possuem um transformador e um isolamento elétrico maior, mas são um pouco limitados em relação ao tratamento de sinal.

Ativas precisam de alimentação (Phantom ou bateria 9V), possuem um circuito interno e menor isolamento elétrico, porém são mais versáteis em relação à conversão até impedância constante de saída. Mesmo assim, a maioria das DI encontradas em estúdios e palcos é passiva, por atender muito bem a maioria das demandas.

Direct Box / DI - Porque você precisa? 2
Saída Link

DIs geralmente possuem uma saída chama Link. Isso é utilizado como uma extensão do sinal que está entrando, mono e direto do instrumento. Serve para conectar esse instrumento à um amplificador por exemplo, salvando ainda o sinal que será tratado e enviado ao mixer.

Ground

DIs geralmente também tem um botão chamado Ground, que serve para isolar o aterramento entre In e Out, utilizados caso ocorram ruídos de rede.

Pad

Outro botão presente em DI’s e muito útil é o Pad, que serve para atenuar ainda mais o sinal de entrada, caso esse seja muito alto. Essa redução varia entre modelos e fabricantes (geralmente -15dB ou -20dB).

Aplicações

Agora que explicamos o que é e para que serve uma DI, vamos ao ponto X. Como tirar vantagem de uma DI em seu estúdio ou Home Estúdio?

Se você utiliza uma interface de áudio mais moderna, como uma Focusrite, M-Audio, Avid, Tascam e que tenha uma entrada específica para instrumentos, OK, você já tem um DI dentro da interface. Se não tiver esse input ou se utilizar uma mesa|console|mixer para entrada do sinal, será interessante ter uma à mão, considerando as facilidades tecnológicas de hoje, por exemplo:

Para usar sua guitarra ou baixo conectados ao PC/Mac para utilização dos modeladores de Amps e efeitos como AmpliTube, Guitar Rig, GTR, etc, é necessário conectar com uma DI para que você possa experimentar (como se deve) toda a sonoridade que esses modeladores podem entregar.

Para que você possa plugar seu instrumento em um Amp, tirando dele a melhor sonoridade e, ao invés de ficar dias procurando a melhor posição de microfone e torcer para não ter vazamentos para seu mic, ligar a saída de linha do Amp no seu mixer e ter um timbre limpo e sem surpresas. Nesse caso, se o mixer tiver entradas de linha, é possível não utilizar a DI.

Para usar sua guitarra, baixo, violão ou teclado conectados ao PC/Mac para gravação do sinal original, para utilizar a técnica de ReAmp e enviar o sinal gravado à um amplificador específico. Mas ReAmp discutiremos em outro post.

Para, em uma gravação ao vivo, usar o Link e enviar o sinal ao Amp e gravar um sinal limpo para refiná-lo na mixagem, enquanto se grava também o Amp microfonado. Enfim, DI é um equipamento muito útil em qualquer situação estúdio/ ao vivo , principalmente na era digital.

Leia também:

Experimentem!

Direct Box / DI - Porque você precisa? 3

Vinnie Azevedo é colaborador do Áudio Repórter, Produtor e Engenheiro de Mixagem .

No Twitter: @vinnieazevedo

Sobre Vinnie Azevedo

Confira também

saiba o que é reamp

Saiba o que é Re-Amp

Aprenda um pouco mais sobre essa técnica muito utilizada o Re-amp

14 comentários

  1. Post muito bom, me ajudou bastante a entender o funcionamento e importância desses equipamentos. Abraço!

  2. Gostaria de um esclarecimento, o direct box serve tambem para microfone de que forma.
    Grato por me esclarecer.

    • Não João. Num microfone não é necessário.

    • Anselmo Gonçalves

      João, uma das funções da DI é justamente casar as diferentes impedâncias dos equipos. Em suma e de forma objetiva, utiliza-se uma DI para que equipos que trabalham com sinal em nível de linha (LINE e alta impedância) possam trabalhar com sinais em nível de mic (MIC e baixa impedância).

      Como o microfone nativamente já fornece sinal em nível de mic, não se faz necessário o uso de uma DI.

      Forte abraço!

  3. ola! entao posso conectar a saida balanceada do DI na entrada XLR do mixer e nao na entrada LINE?

  4. Gostaria de saber se a Interface M-Audio MobilePre II pode ser usado com DI? Estou adquirindo uma e quero saber se mesmo assim precisarei de um DI. Abraço. Grato.

    • Anselmo Gonçalves

      Thiago, a MobilePre Mk II é uma interface de áudio que vai receber até dois sinais (LINE e/ou MIC) e permitir duas saídas LINE para geralmente você conectar em monitores de referência. Além destas saídas LINE, via USB o sinal de áudio é convertido para ‘0’ e ‘1’ (áudio digital) e pode ser trabalhado dentro de seu computador.

      Nas entradas da MobilePre você pode inserir tanto um sinal LINE quanto MIC.

      Forte abraço!

  5. Não sei se por comodidade ou falta de opção, usou-se por mto tempo o Wirlwind Imp2 para todas as aplicações, (digo pq li mtos Riders…) hoje temos mta opção de escolha, inclusive nacionais com excelente qualidades, mas como não tenho uma experiencia de estrada, gostaria de perguntar aos amigos, quais D.I. vcs utilizam para cada instrumentos e porque? Tipo D.I passiva ou ativa na baixo, na guitarra, violões, teclados?…. Obrigado e abraço!

    • Anselmo Gonçalves

      José, concordo contigo quanto a nacionais de excelente qualidade (exemplo, a EAM).

      Quanto a aplicação, para DIs passivas, o principal componente é o trafo (transformador). Utilizando um de ótima qualidade, seu som será proporcional. A Jensen é uma marca referência em trafos. Radial e Countryman por exemplo, utilizam Jensen nos seus melhores DIs passivos.

      Eletricamente falando, uma DI passiva tende a suavizar as pontas do espectro, ressaltando involutariamente as médias. Neste caso, equipos que trabalham bastante na região das médias (como guitarra por exemplo), se valem desta característica.

      Entenda que é uma característica das DIs passivas e estamos usando ela a nosso favor, de modo que qualquer instrumento pode ser utilizados com passivas. Como bem dito no texto, outra caraterística forte das passivas é o maior isolamente elétrico em relação as ativas.

      Um ponto interessante a se considerar nas passivas, é o preço. Por utilizar componentes elétricos (passivos), seu custo tanto de componentes, quanto de montagem, é menor, o que na ponta final (cliente) se resume a um preço menor (note que isto não é uma regra: existem passivas muito mais caras que ativas).

      As DIs ativas utilizam componentes eletrônicos em seu circuito, o que já de cara, torna o produto um pouco mais caro (devido ao custo de componentes e montagem). Algumas DIs utilizam válvula em seu circuito (DIs valvuladas), o que a indica ter um preço ainda maior.

      Devido a sua construção eletrônica, geralmente as ativas não tendem a suavizar as pontas e podemos dizer que possuem uma resposta de frequência “mais estendida”. Sendo assim, instrumentos como teclados por exemplo, que possuem uma resposta de frequência por todo o espectro, podem se valer desta característica.

      Mais uma vez entenda que isso não é uma regra. Qualquer instrumento pode ser utilizado com qualquer DI. Muitos fatores como custo, disponibilidade, preferência e outros estão neste caminho também. Um fator determinante para o uso de uma ativa ou passiva é a disponibilidade (e confiabilidade) do Phantom Power, que é algo essencial para DIs ativas.

      Outra linha de raciocínio que alguns profissionais seguem, é a seguinte regra:
      Se a fonte de sinal é ativa, use DI passivo
      Se a fonte de sinal é passiva, use DI ativo

      Para este tema, deixo abaixo o link para mais estudos:
      http://www.radialeng.com/comparing-dis.php

      Espero ter ajudado!

      Forte abraço!

  6. boa noite, posso conectar 2 instrumentos em um Direct Box????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: