terça-feira , 19 novembro 2019
Início / Resenha / Do estúdio para o P.A

Do estúdio para o P.A

  Será que é a mesma coisa mixar uma banda ao vivo ou uma gravação em estúdio? Quais seriam as principais diferenças entre os dois mundos? É sobre isso que vou tratar nesse post.

 

A cada dia tornasse mais comum profissionais de áudio que trabalham com gravação e mixagem em estúdio ingressarem no mundo da mixagem ao vivo, o P.A.  Isso aconteceu comigo também, já que minha formação de audio é voltada para o estúdio, mas como também sou musico, tenho essa relação estreita com o Stage.

 Áudio é Áudio e musica é musica porem, existe uma grande diferença de como vamos trata-los nesses 2 mundos. Para mim são 3 os pontos principais a serem abordados nesse assunto:

  • Pressão sonora
  • Processamento do áudio
  • Panorama da mixagem

 1234073_10201838725879049_1585413325_nQuando estamos mixando em um estúdio, dispomos de uma acústica controlada, monitores alinhados, poucos componentes eletro-acústicos e um nível de pressão sonora controlado. Temos também a grande vantagem de não ter o áudio emitido pelos “speakers” interferindo na captação da fonte sonora, como acontece num palco. Isso faz com que o engenheiro tenha mais liberdade na colocarão do áudio através do uso dos equalizadores e compressores, tendo a liberdade de processar muito mais o sinal de audio no estúdio do que quando estamos trabalhando com uma banda ao vivo no  P.A. Podemos ter curvas de frequências e compressões muito mais fortes já que não teremos o ¨perigo¨ de uma realimentação do áudio.

No P.A temos também um espaço físico muito maior com a audiência espalhada por todos os lados, isso faz com que limitemos o panorama da mixagem para que nenhum espectador perca o som de um instrumento por uso de um panorama radical.1208774_10201918868602567_1625965588_n

 A grande quantidade de componentes eletro-acusticos que compõem um sistema de sonorização ao vivo, faz com que tenhamos um numero grande de comb filters, fazendo assim com que o engenheiro tenha que mixar em seu ¨ponto doce¨ interpretando o que as outras posições da audiência estão escutando.

 Fazendo um paralelo com outra atividade, posso dizer que mixar uma musica num estúdio é como pintar um quadro em branco, onde temos total liberdade com os traços, formas e cores, enquanto no P.A temos que pintar um quadro que ja tem uma gravura em preto e branco e nossa função será apenas deixa-lo mais bonito e colorido.

 

 

Sobre Beto Neves

Paulista, radicado na Bahia, gravou e mixou grandes artistas, como Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Claudia Leite, Netinho, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Rumpilezz, Timbalada, Harmonia do Samba, Bebel Gilberto, Banda Eva, Tony Garrido e muitos outros. Atualmente comanda o PA da banda Asa de Águia e é sócio AudioWorkshop e da Unidade Móvel Mix2go.

Confira também

Pro Tools 11, só o que ficou foi o nome.

Sou usuário dos produtos AVID, antes Digidesign, desde 1997 quando comprei uma interface AudioMidea com o Software Sessoin 8, o pai do Protools.

%d blogueiros gostam disto: