segunda-feira , 17 dezembro 2018
Início / Resenha / Pro Tools 11, só o que ficou foi o nome.

Pro Tools 11, só o que ficou foi o nome.

download-(6)

Sou usuário dos produtos AVID, antes Digidesign, desde 1997 quando comprei uma interface AudioMidea com o Software Sessoin 8, o pai do Protools.

amIII
Placa AudioMedia III

 

 

 

 

 

Após esse primeiro sistema, passei por todos os sistemas e versões de software e hardware da empresa, TDM 24, TDM MixPlus, HD process, HD Accell e agora o novo HDX.

Nesses 18 anos que se passaram o Protools se tornou padrão nos estúdios profissionais de áudio pelo mundo, me acompanhou nos quase 200 discos que gravei e mixei e foi o primeiro software a receber um Oscar pelos serviços prestados ao áudio no Cinema.
Muitos outros softwares de áudio, as chamadas Daw. ” Digital Audio Workstation” correram paralelos ao Protools durante esse tempo e receberam investimentos altos para tentar desbancar a hegemonia da Avid no áudio profissional, os mais famosos foram esses:

DAW

 

Acredito que a Avid se manteve no domínio do mercado profissional pelo fato de manter software e hardware trabalhando juntos e isso gerando conforto e segurança a seus clientes profissionais.

Pro Tools 9

Quando eu estava usando a versão 9, em meados de 2012, indagado por amigos profissionais que utilizavam outros sistemas, me questionei se o resultado sonoro obtido com o uso do Pro Tools era realmente superior aos dos concorrentes e resolvi fazer alguns testes.

Para a minha surpresa o resultado sonoro era muito parecido nos outros softwares e no caso de um deles, o Logic Audio, o resultado era ainda melhor do que o que eu obtinha no Pro Tools. Me senti bastante incomodado com isso pois meu sistema, que havia custado umas 10 vezes mais que os concorrentes, não me oferecia essa mesma diferença no resultado final do trabalho o que me fez pensar se valia mesmo a pena esse investimento.

Pro Tools 10

Logo depois foi lançada a versão 10 e seu novo hardware, o HDX. Pensei então, agora sim teremos um grande salto porém, para minha decepção não senti grandes diferenças no resultado final pois, esse software ainda estava engessado pela velha tecnologia TDM 24Bits de 10 anos atrás.

Pensei em migrar meu sistema para outra marca pois o investimento para um upgrade era muito alto e não tinha a certeza que esse seria um bom investimento, mas migrar de uma plataforma que eu dominava tanto e a tantos anos não era uma coisa fácil de fazer. Foi quando a AVID lançou a versão 11 do Pro Tools HD, uma versão totalmente reescrita do software com um poder muito maior de processamento, porém essa versão não aceitaria mais os Hardwares TDM HD ACCELL. Resolvi então testá-la e manter minha fidelidade a uma empresa que me deu suporte por tantos anos.

Pro Tools 11

Bom, na minha opinião, o Pro Tools 11, apesar do mesmo nome e mesma interface gráfica é um software totalmente diferente das versões anteriores. O resultado sonoro obtido com ele é notoriamente muito superior e sua estabilidade é incrível.
Já estou utilizando a versão 11 aproximadamente a 1 ano e nunca tive um sistema tão estável e com um resultado tão bom quanto esse.

Quero deixar claro que não tenho nenhuma ligação com a empresa fabricante do Pro Tools, a Avid. Sou apenas um usuário dando meu depoimento sobre meus 18 anos usando essa ferramenta de trabalho que, pelo resultado obtido nessa última versão, usarei por outros muitos anos com certeza.
Parabéns a Avid, a musica agradece.

Sobre Beto Neves

Paulista, radicado na Bahia, gravou e mixou grandes artistas, como Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Claudia Leite, Netinho, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Rumpilezz, Timbalada, Harmonia do Samba, Bebel Gilberto, Banda Eva, Tony Garrido e muitos outros. Atualmente comanda o PA da banda Asa de Águia e é sócio AudioWorkshop e da Unidade Móvel Mix2go.

Confira também

Novas consoles, Novo mercado

O mercado de consoles digital está agitado, praticamente todas as empresas com grandes lançamentos. Vejamos a evolução.

%d blogueiros gostam disto: