fbpx
segunda-feira , 29 novembro 2021

Você é engenheiro de áudio?

 

Dentro do show business, você sabe exatamente qual o nome da sua função?

Eu não tenho medo de chamar o meu colega de profissão de engenheiro. Mas como assim se no Brasil nós não temos uma faculdade que lecione engenharia em áudio?

engenheiro de áudio

Não é porque um grande profissional com todo o seu know how adquirido ao longo de anos não possa ser respeitado e admirado como um engenheiro.
E em um sistema de sonorização, temos vários engenheiros, qual engenheiro é responsável pelo o que?

 

Engenheiro de sistema

Como o nome sugere, ele é o responsável pelo o sistema de sonorização, e não simplesmente por montar e ligar o sistema, e sim em planejar e desenhar todo o sistema a ser utilizado. Será ele que vai responder pelo o desempenho desse sistema.

O Engenheiro de sistema também é responsável pelo o alinhamento técnico, onde ele vai deixar o sistema com as amplitudes entre os componentes em harmonia e vai colocar o sistema em fase.

O Engenheiro de sistema é o responsável por toda a inteligência na interligação de todos os hardwares que fará parte do processo de sonorizar.

 

Engenheiro de áudio FOH

(Front Of House – engenheiro que mixa o PA).
A tradução parece não fazer muito sentido, mas o engenheiro de áudio hoje conhecido como o técnico da banda, é o Engenheiro que conhece exatamente a sonoridade do artista que ele trabalha.  A princípio, é ele que assina o rider técnico, onde ele descreve os hardwares que ele precisa para alcançar a sonoridade desejada, e alcance a sonoridade mais fiel da música como foi concebida.

No sistema, ele é o responsável pelo o alinhamento artístico, para alcançar de forma mais fiel todo o trabalho que está sendo realizado no palco.

É muito importante que, o engenheiro de áudio tenha o conhecimento das referências dos músicos do qual ele trabalha, para que ele possa sonorizar de forma mais fiel o trabalho realizado por cada músico.

Mesmo que pareça estranho eu escrever algo tão óbvio, mas o engenheiro de áudio tem que ter muita intimidade com o arranjo musical, para que ele possa sonorizar todas as nuances e trabalhar a dinâmica correta para cada artista e para cada música.

Engenheiro de áudio de monitor.

Esse nome já é mais familiar, o engenheiro de monitor é o responsável em mixar o som que o músico ouve. Levando ao músico uma ótima referência e também  musicalidade.

Com a chegada dos fones de ouvido, infelizmente o mercado passou a mixar apenas níveis e deixando para trás a musicalidade na referência dos músicos, assim como os músicos também perderam essa exigência, chegando a estranhar um trabalho de monitoração musical. Lembrando que não é generalizada essa minha opinião.

O engenheiro de monitor, tem a mesma responsabilidade do engenheiro de áudio FOH no que se diz respeito ao conhecimento nas referências de cada músico e no conhecimento do arranjo musical.

Quando temos esses três engenheiros dividindo seus conhecimentos para chegar em um único resultado, quem ganha é a música. Pois todos ouviremos os resultados.

 

Deixe sua opinião e suas dúvidas nos comentários abaixo

Sobre Kadu Melo

Comecei minha profissão em 1997, trabalhando em bandas de bares e shows de pequeno porte. em 2000 ingressei na empresa paulistana Tukasom, onde obtive um Know How enorme. Em 2010 passei a trabalhar viajando com artista, Grupo Sensação, Bamdamel, Mafalda Minozzi, Pedro Mariano, Pedro e Thiago, Banda Hori, Fiuk, Jorge Ben Jor e Hoje com Fabio Jr. De 2011 a 2014 fui especialista de produto dos consoles Allen&Heath, onde aprofundei tecnicamente tanto na tecnologia como no mundo mais Business.

Confira também

Por que eu utilizo a curva de ponderação C ? 4

Por que eu utilizo a curva de ponderação C ?

É sempre muito complexo falar sobre curvas de ponderação, neste post falarei porque uso a curva C para o meu controle de PA.

15 comentários

  1. Aiiiii Sim Kadu!!!
    Orgulho total!!!!
    Abraços

    • Obrigado Ernani!!!

      O orgulho é todo meu ao receber um elogio de uns dos ENGENHEIROS que eu mais admiro nesse País.
      Obrigado.

      • se uma pessoa é capaz de montar um sistema complexo de um show grande,não vejo problema algum de ser chamado de engenheiro, ele é o responsável pelas posições de cada caixa,cabeamento, e alinhamento, não tiro a razão do kadu,pois já vi muitos técnicos montando sistemas melhores do que muitos engenheiros formado.

  2. Na minha opinião, isso é um termo mal traduzido do inglês. Pessoalmente, eu não me denomino “engenheiro de áudio” ou “engenheiro de mixagem” ou “gravação”, mesmo que os termos no inglês sejam audio engineer, mixing engineer ou recording engineer. Não considero o “engineer” do inglês justo à tradução de “engenheiro” aqui. Aqui, engenheiro é quem é formado em engenharia. Eu sou formado em cinema e tenho curso técnico federal em edição de áudio, então eu me denomino cineasta e técnico de áudio. Embora engenheiro de mixagem seja um termo auditivamente legal, não acho o seu uso correto.

    • A engenharia é a ciência, a arte e a profissão de adquirir e de aplicar os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos na criação, aperfeiçoamento e implementação de utilidades, tais comomateriais, estruturas, máquinas, aparelhos, sistemas ou processos, que realizem uma determinada função ou objetivo.

      Nos processos de criação, aperfeiçoamento e implementação, a engenharia conjuga os vários conhecimentos especializados no sentido de viabilizar as utilidades, tendo em conta a sociedade, atécnica, a economia e o meio ambiente.

      A engenharia é uma ciência bastante abrangente que engloba uma série de ramos mais especializados, cada qual com uma ênfase mais específica em determinados campos de aplicação e em determinados tipos de tecnologia.

      Fonte: Wikipedia.

    • Tudo bem Ricardo?
      Obrigado por passar suas ideias e seus pensamentos.
      Pequenas “discussões” como essa faz com que conseguimos cada vez mais entender melhor e buscarmos mais e mais conhecimento.
      Eu respeito e muito a sua ideia de chamar ou não um profissional de engenheiro, embora como descreveu a sua profissão, eu provavelmente ao conhecer o seu trabalho o respeitaria como engenheiro.
      Mas acho que não consegui ser claro no texto que tive a oportunidade de escrever aqui no Áudio Reporter.
      O foco não é endossar ou não um profissional como engenheiro mas sim entender a responsabilidade de cada um dentro de um sistema.
      Infelizmente encontramos sistemas muito mau dimensionado e montado de forma em que o profissional que vai “mixar”, encontre dificuldades, dificuldades essa que não poderão ser corrigidas com um equalizador ou em mudanças de tempo nos elementos usados para sonorizar.
      Por isso a ideia era de mostrar que, temos que ter o responsável pelo o sistema e o que esses responsáveis teria que executar as suas funções como tal, e o responsável pela a “mixagem”, que deveria se preocupar com o seu trabalho de “mixar” apenas.
      Ganhando assim tempo e otimizando o sistema e o espaço.
      Pois essas responsabilidades foram esquecidas ou em sua grande maioria são usadas de má fé.
      Independente da formação do profissional que deveria executar a função depositada nele.
      Essa era a real ideia do texto. Desculpe se eu não consegui ser claro.
      Obrigado por participar e por visitar o site Áudio Reporter.

  3. Infelizmente existe no Brasil um “aportuguesamento” que mostra o quanto ainda somos atrasados frente a outros países. Em minha opinião “la fora” o técnico de áudio é chamado de “AUDIO ENGINE” cuja a tradução é (Técnico de Áudio) e não “AUDIO ENGINeeR” que seria engenheiro de Áudio. Isto pois culturalmente o termos “técnico” surge da industria automobilística e a sua tradução seria “Motor”. Isto com algumas exceções de profissionais que se formarão em outros ramos de engenharia (engineer).
    Portanto concluo que chamar um técnico de engenheiro só mostra nossa atraso (educacional e acadêmico) perante outros países.

    • Maza, obrigado por colocar aqui o seu pensamento e somar com o post.
      Permite que eu faça um adendo ao texto publicado.
      O fato de eu dizer que respeito um amigo de profissão como engenheiro não quer dizer que, ao chama-lo de engenheiro eu estou afirmando como um diploma de que essa pessoa seja engenheiro de fato.
      Mas o que eu gostaria de dizer no texto e talvez eu tenha tido a capacidade de me expressar é, que no dia a dia e hoje eu posso falar isso, não respeitamos e muito menos temos o mínimo de pessoas dispostas a fazer a sua parte. Por falta de capacidade, ou por falta de responsabilidade. Esse seria o foco do texto, não apenas a primeira frase onde eu digo que considero ou não alguém como engenheiro.
      Encontramos PA mau dimensionado, mau posicionado e até mesmo sistemas que não é para aquela aplicação em específico.
      Mas eu que não sou engenheiro de formação nem técnico de formação, chego com a responsabilidade de mixar a música do artista que trabalho e tenho que aplicar o pouco ou muito conhecimento que seria de um engenheiro, para poder otimizar e realizar de uma forma melhor o meu trabalho, a começar fazendo o trabalho dos outros.
      Eu gostaria que cada um soubesse da sua obrigação a princípio de tudo, e caso alguém não tenha conhecimento para isso, mas que esteja buscando, que isso seja natural e que a cada oportunidade tenhamos a vontade e disciplina para aprender.
      Hoje, ao dizer uma opinião de um sistema, eu prefiro falar por quem ele foi alinhado do que do sistema em si. Pois os profissionais que se dedicam a fazer um alinhamento decente conseguem entregar o sistema apto a fazer o seu melhor, quando um sistema independente da sua marca, ao ser simplesmente içado e mau posicionado, nos entrega uma resposta de baixa inteligibilidade e pouco musical.
      Eu gostaria apenas que tivéssemos o responsável pelo o sistema e o responsável pela a mix. engenheiro, técnico ou entusiasta.

      • Ok, mas o fato de cara ser um ótimo profissional não tem nada a ver com a necessidade de ficar se denominando engenheiro. Parece coisa de ego pra se mostrar superior profissionalmente falando a um técnico ou operador de áudio.

        • Entendo o seu ponto de vista.
          Mas em nenhum momento eu tive a intenção disso.
          Eu acredito que, o Latino Americano no modo geral tem o Ego muito a flor da pele. Isso é “normal” por aqui.
          Mas eu nem me preocupei com isso ao escrever o texto.
          Se uma pessoa quiser usar o termo de Engenheiro para tentar se destacar, isso é com ele, assim como não vou me desfazer de alguém por essa pessoa não ter um diploma.
          Eu quero poder realizar o meu trabalho da melhor maneira possível, e quero colher os frutos de ver os músicos felizes e principalmente, o público feliz, se emocionando das mais diversas maneiras em um espetáculo realizado.
          Para isso, precisamos obter o melhor de um sistema e que ele seja o mais fiel.
          Onde dentro desse sistema tem que ter alguém apto a montar e configurar o sistema como se deve e tem que ter o profissional para “mixar” como se espera dentro daquele programa musical.

          • Oi, Kadu. Como você falou, “alguém apto a montar e configurar o sistema como se deve” é na verdade o dever de qualquer profissional. Daí chegamos na questão de ser profissional ou não, porque temos muitos apertadores de botão por aí. Mas o texto perguntava: Você é engenheiro de áudio? Para esta resposta, pra mim a resposta correta é não.

          • Exato! Claro.
            Mas ao mesmo tempo o fato de não ter um papel não faz alguém não ser apto.
            Do mesmo jeito que o simples fato de você cumprir o seu dever não quer dizer que você seja “O” cara, como vem acontecendo pelo fato de termos muitos profissionais ruim.
            Mas realçando o texto, a ideia não é de dizer que a pessoa é ou não engenheiro, isso foi o que eu disse no inicio dizendo como eu ajo com os amigos de profissão, mas sim de dizer que existe mais que uma única profissão e que esse profissional é responsável de tudo!
            E eu acho que tudo que foi escrito por ti, por mim, pelo a Áudio Reporter e pelo o Maza, que tudo poderia ser lido por amigos e que cada vez mais em discussões, que a gente possa acrescentar e continuar a desenvolver a cultura da nossa profissão.
            Obrigado!

  4. Engenheiro de Audio é aquele que tem a capacidade de desenvolver equipamentos de audio usando conhecimentos matematicos e físicos para tal. Alguém que simplesmente conhece como funcionam os equipamentos e sabe interliga-los e configurá-los de maneira correta não passa de um cara que leu o manual e entendeu. Como engenheiro eletrônico, não acho adequado que qualquer profissional possa ser chamado de engenheiro.

    • Olá Jonatan, tudo bem?

      Jonatan, eu entendo o que quer dizer, mas assim como você se sente ofendido por ser engenheiro e um profissional que não seja engenheiro formado passa a ser chamado de engenheiro, eu me sinto “ofendido” de pensar que pessoas com extrema capacitação e excelência em seu trabalho, seja visto como um profissional enquadrado como: “Alguém que simplesmente conhece como funcionam os equipamentos e sabe interliga-los e configurá-los de maneira correta não passa de um cara que leu o manual e entendeu”.

      Um sistema de grande porte precisa mais que isso para funcionar de maneira correta e musical.
      Hoje eu faço uma pergunta não a você que veio aqui e nos deu um pouquinho do seu tempo para pensarmos sobre sua opinião, mas faço uma pergunta a todos que queiram e participem desse site.
      Qual o engenheiro formado e graduado hoje no Brasil que está apto a dominar de fato um sistema de grande porte, que tenha conhecimento no software para desenho de sistema, conhecimento para otimizar o que o software não mostra, conhecimento para otimizar mais de um sistema em um mesmo local a ser sonorizado, conhecimento em programação e operação nos gerenciadores de sistema e tenha a capacidade de fazer com que tudo isso seja musical?
      Pois temos grandes engenheiros no Brasil, formado em Elétrica, Eletrônica ou algo que chegue perto, mas não temos uma faculdade que nos de esse Know How para tamanha façanha.
      Eu não quero de maneira nenhuma dizer que, uma pessoa que não tenha se formado em engenharia receba esse titulo porque é bonito ou por outro motivo qualquer, mas eu respeito e eu sei bem e admiro muito os que consigam hoje, mesmo sem ter esse curso completo de engenharia de sistema, ou um engenheiro de audio que faz um trabalho maravilhoso na estrada, se esse profissional não for engenheiro, o que ele é então?
      Um forte abraço Jonatan!

  5. Olá pessoal, tudo bem com vocês?
    Achei muito interessante esse tópico e resolvi participar deixando minha humilde opinião.
    Entendo muito bem o seu ponto de vista Kadu Melo e respeito a opinião de todos, mas concordo que podemos sim chamar um profissional com conhecimentos técnicos avançados, de engenheiro pois a palavra engenharia significa a capacidade de aplicar os conhecimentos científicos de forma prática a fim de produzir novas utilidades. Para obter tais resultados, o engenheiro estuda o problema, planeja uma solução, verifica a viabilidade econômica e técnica e por fim coordena o desenvolvimento ou produção. É também uma profissão em que se adquire e se aplica os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos na criação, aperfeiçoamento e implementação de utilidades que realizem uma determinada função ou objetivo. Existe uma associação de duas palavras que são engenharia e formação acadêmica que no meu ponto de vista não é muito funcional assim como habilitação está para motorista por exemplo, existem péssimos motoristas habilitados. Acho que deveríamos avaliar o profissional pelo seu nível de conhecimento real e não por rótulos, sendo assim, tanto faz engenheiro, técnico, profissional, o que importa realmente é o nível de conhecimento e isso sim tem que ser respeitado. Abraço a todos os amigos que movimentam o Audio Reporter, essa ferramenta é muito útil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: