sábado , 29 abril 2017
Início / Dicas / Verificando problemas de fase

Verificando problemas de fase

Reconhecer problemas de fase leva um pouco de tempo e experiência, mas com calma  e um pouquinho de prática, isso passa a ser um hábito meio que “automático”.

Ao gravar uma bateria microfonada com over, microfones de ambiência entre outros tipos de microfonação, você deve estar ciente dos problemas de fase.

Antes de processar qualquer canal da batera ou setar os níveis, cheque a de cada microfone. É nessa hora que você vai somando os canais e vendo se ele perde “punch” ou uma outra alteração no som original.

  • Começando pela checagem dos microfones de over. Estes microfones podem estar fora de fase, é raro mas não inédito.
  • Em seguida adicione o microfone da caixa superior. Aumente o volume e tente inverter a polaridade, escute se há mudança de frequências baixas ou não  e  decida qual o melhor caminho a seguir, logo, continue  com o próximo microfone.
  • Se você tiver um microfone na esteira virado pra cima, é bem provável que ele seja o oposto da caixa superior, neste caso inverter em 180º é necessário.
  • Adicione os outros microfones, bumbo, toms, chimbal, etc…
  • Logo após você pode passar para o estágio de pans, equalização, equilíbrio, etc…

 

Aqui está um exemplo do kit antes e depois de verificar a polaridade de cada mic usando este processo:
Batera antes de checar a fase

Batera depois de checar a fase

 

Neste caso dois microfones tiveram a fase invertida, o da caixa superior e um dos microfones do bumbo.
Não há preset pra isso, cada vez que você for gravar a bateria vai ser uma situação diferente que  precisa ser checada e compensada com os devidos ajustes.

Quando terminar o processo descrito acima e ouvir todos os canais,  você deve verificar que eles estão todos trabalhando juntos e em fase.

Lembre-se que estamos falando pura e simplesmente  de inversão de polaridade, mais conhecido com o símbolo do círculo cortado ao meio. Não confunda com fase.

Fase é outra coisa, se relaciona com o fator tempo, mas uma defasagem de 180º resulta numa inversão de polaridade.

 

Este é um assunto simples e complexo ao mesmo tempo, COMENTE, use o espaço abaixo pra gerar discussões!

 

Sobre Diego Moreno

Fundador do site, Engenheiro de áudio, apaixonado por música, divide o tempo entre a estrada o estúdio e a constante atualização do site.

Confira também

bounce

Bounce, consolidar? Ou não?

Você consolida? Faz bounce? Merge? Há perdas no processo ou tudo não passa de uma lenda?

  • Pelo que entendi, basicamente seria evitar que microfones fiquem fisicamente "virados" 180º um do outro. Mas seria algo complicado de aplicar caso eu use os overs pendurados no teto(perpendicularmente, mesmo), e algum outro dos microfones apontando pra cima, não? Se for o caso, o fato deles trabalharem com diferentes frequências me livraria dessa preocupação?

    Valeu! Estou gostando bastante do blog

    • Não.

      O inversor de fase geralmente é um botão identificado com um círculo cortado ao meio.
      Pra você entender o assunto por completo, tinha que ler alguma coisa sobre os princípios do audio, pra entender sobre comprimento de onda, tempo, velocidade do som, etc…

      Comente e divulgue sempre que puder!

      abraço!

  • Abiran

    Aonde acho algum artigo sobre este tema e como consigo inverter a fase de um microfone por exemplo ?

    abraço

    • Abiran, polaridade se inverte na mesa de som ou no software de gravação. O botão (em ambos) é o da letra grega "fi", simbolizada por um círculo cortado ao meio. Basta ligar este botão APENAS no canal com microfone invertido. Se a mesa ou o programa não tiver essa função, a solução mais simples é inverter os polos 2 e 3 de seu cabo XLR.

  • Diego

    Parabéns pela explicação amigo.
    Já gente passando horas tentando achar batera, repiques gravados juntos etc!!! e o problema era só inverter a fase!!! kkk
    Importantissimo.
    Não conhecia seu site, a partir de agora estarei sempre por aqui aprendendo
    Abração

  • marlos

    falou falou e nao explicou nada, criou maisduvidas do que sanou.

    • Pois é Marlos, se ao invés de perder seu tempo criticando, você fizesse uma pergunta, talvez aprenderia mais.

  • Serginho Santana

    Tome!!! Por isso seu fã Diego. Bela resposta.

  • Orlando

    Diego, antes de qualquer coisa muito boa a iniciativa em compartilhar conhecimentos aqui no blog!
    Tenho começado a gravar algumas coisas em casa… um mini home studio… e como vc comentou é realmente fácil perceber a diferença invertendo as fases do microfone de “esteira” da caixa. É como se sem inversão houvesse cortes de algumas frequências, principalemnte médio-graves…
    Mas percebi, também, bastante diferença invertendo a fase de um dos dois micrones usados de overs. A diferença não foi como na caixa com o surgimento de alguns médios graves, mas é como se o som ficasse mais claro ou menos misturado. Os microfones que estou usando são dois AKG C1000 a 1m de distância entre eles e a 1,5m de distância do bumbo. Achei que a inversão de fase seria perceptível em microfones com uma angulação de 180º, mas não foi o caso. Como a inversão funcionou nesse caso? Vc tem algum e-mail de contato?

  • Pingback: FASE: Diferença de tempo ou Polaridade? | Áudio Repórter()