sábado , 29 abril 2017
Início / Dicas / Compressão Multibanda

Compressão Multibanda

A compressão multibanda é uma ferramenta complexa e sutil. A compressão por si só já é um dos processos mais complexos da mixagem, e a compressão multibanda multiplica essa complexidade.

Ao contrario da compressão comum, o compressor multibanda funciona como vários compressores processando o sinal em paralelo, cada um deles trabalhando em sua respectiva faixa de frequências. Por essa razão, a compressão multibanda está mais apta a processar um material complexo, com um comportamento dinâmico variável ao longo do espectro de frequências. Um exemplo de material desse tipo seria uma mix inteira, onde o compressor multibanda pode ser utilizado tanto no mixbuss (como parte do processo de mixagem) quanto na masterização.

c6

Leia:

5 Tipos de compressão

Sendo uma ferramenta muito poderosa, pode ser utilizada principalmente para nivelar sutilmente o material que está sendo processado, ou para resolver problemas cirurgicamente em uma faixa de banda específica, sem afetar a dinâmica do resto do espectro de frequências.

Por exemplo 

  • Uma mixagem com uma linha de baixo que não foi executada de forma consistente pode se beneficiar da compressão multibanda na região dos graves, onde o compressor vai trabalhar reduzindo o alcance dinâmico dos graves, ajudando a mix a ter uma resposta de graves mais linear sem afetar as regiões dos médios e agudos, ao contrário de um compressor tradicional, onde todo o material seria afetado pela compressão.
  • Outro exemplo seria uma mix onde o volume da voz oscila demais ao longo do material. Nesse caso a compressão multibanda poderia ser utilizada na região dos médios para ajudar a voz a se encaixar com a música.

Vale lembrar que esses dois exemplos se encaixariam numa situação de masterização, onde não é possível voltar para a mixagem e corrigir o problema fazendo ajustes nas pistas individualmente.

No caso de uma mix com problemas de equilíbrio geral no espectro de frequências, ao invés usar um compressor tradicional para resolver problemas específicos, várias bandas trabalham separadamente e controlam suas respectivas faixas gentilmente, ajudando a mix a atingir um equilíbrio geral melhor de forma muito mais gentil e transparente do que um compressor tradicional.

É importante tomar cuidado com compressão multibanda, pois os ajustes que são feitos em uma região do espectro podem afetar a percepção das outras regiões, por mais que elas não estejam sendo diretamente afetadas pelo processo. Assim como a maioria dos outros processos de masterização, é prudente tentar fazer o processamento de forma sutil.

Traduzido e modificado do Blog do Kim Lajoie  http://blog.kimlajoie.com/multiband-compression-2/

Sobre Raphael Oliveira

Engenheiro de áudio formado pelo Trebas Institute (Toronto, Canadá). Técnico no estúdio Ampera Records em Salvador. Amante de equipamentos analógicos, obcecado por plugins e maníaco do Pro Tools e seus atalhos. Gamer não muito talentoso nas horas vagas.