fbpx
quinta-feira , 6 maio 2021

Você comprime o LR do PA?

Você usa algum tipo de compressão e/ou limiter no seu LR do PA?

 

Lendo na internet sobre o assunto e conversando com amigos , pude observar que existem opiniões diversas sobre o assunto. Pessoas fazem de jeitos diferentes esse tipo de compressão, ou nem fazem. Tem os que acreditam que a compressão do processador já é o suficiente e quando o sistema está bem dimensionado, não há motivo para usar.

Capa-5-compressores

Assim como no estúdio masterizamos uma música, no PA não poderia ser diferente. Da minha saída da mesa, entrego o sinal o mais otimizado possível para o processador.

Após conversar com  diversos profissionais, identifiquei 3 principais  motivos para usar um compressor na saída:

  • Manter o RMS
  • Proteger o sistema
  • Limitar picos

 

Mas como fazer e porque?

Eu particularmente não acredito em receita de bolo, mas darei algumas sugestões de início para compressão no master. A partir desses parâmetros, ajuste de acordo a sua necessidade (inclusive o threshold).

 

Compressão para Manter o RMS

O objetivo desta compressão é manter o nível médio do sinal ganhando um espaço maior para volume na saída. É o que alguns costumam a chamar de “cola”.

Ratio:  ajuste baixo seria o recomendado, 1:5, 1:7, 2:1

Attack:  lento, valores entre 30 e 60 ms

Release: Rápido, não há como fazer esse ajuste música por música, o recomendado é usar o release de acordo com o estilo musical. Valores entre 20 e 50 ms

 

Compressão para proteger o sistema

O objetivo dessa compressão (limiter) é apenas criar uma barreira de proteção contra um pico forte. É mais comum vermos esse tipo de ajuste em processadores, mas se por um acaso você precisar usar na saída da mesa, aqui está uma sugestão de início.

Threshold: ajuste depois dos picos, pra atuar apenas se ocorrer algum distúrbio na mix.

Ratio: infinito

Attack: Muito rápido, entre 1 e 5 ms

Release: lento, entre 100 e 200ms

 

Compressão para limitar picos

O objetivo é limitar a ação de transientes rápidos na mix, fazendo o compressor atuar forte caso ocorra. É o jeito mais difícil de fazer o compressor soar “musical”, talvez seria melhor usar um compressor no canal que emite esses picos. Mas ainda assim é um tipo de compressão muito usado no master.

Ratio: Valores entre 4:1 e 7:1 são recomendados

Attack: Rápido entre 5 e 10ms

Release: Rápido entre 20 e 50ms

 

Essas são algumas formas de usar o compressor na saída da mesa, use-as de acordo com a sua necessidade, lembre-se sempre que os ajustes de attack e release fazem toda a diferença na sua compressão. Experimente os vários tipos de compressor, inclusive os multibandas.

Deixe sua opinião nos comentários!

Sobre Diego Moreno

Fundador do site, Engenheiro de áudio, apaixonado por música, divide o tempo entre a estrada o estúdio e a constante atualização do site.

Confira também

mitos do audio

Mitos do áudio revelados! Parte 1

Vou mais uma vez causar polêmica e discussão com este post, pois sei que muita gente que segue o blog faz ou já fez, concorda ou discorda de alguns desses mitos que eu vou comentar agora:

4 comentários

  1. Parabéns Diego! Esse assunto é muito peculiar! E olha, tem pano pra manga hem?

  2. Eu gosto de fazer uma compressão imperceptível mas, que melhora muito a estética geral do som: Ratio em 1:1,1 , Attack no 0 e Release no MÁXIMO… Bota a banda p/ tocar e vai ajustando o Threshold delicadamente até que a compressão seja de -1,1 na média… Parece mera superstição mas já fiz este teste com diversas pessoais e elas preferem dessa maneira; isto dá uma homogeneizada geral nas arestas do som sem desconfigurar sua dinâmica musical que me soa bastante agradável… Talvez lembre com compressão de fita (nunca trabalhei com fita!)! PS.: Usar na masterização digital, como último processador antes do Dither também acho bem legal! Abraços a todos!

  3. Eu comprimo, inclusive minhas vias de monitor. Mas com muito cuidado.

  4. Valeu irmão eu tinha muitas duvidas sobre isto… eu achava q só usava compressor no insert ou no determinado canal!!! valeu querido..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: