fbpx
quarta-feira , 27 outubro 2021

2,4ghz, bem vindo a nova tecnologia.


Nova era da transmissão de áudio sem fio já é realidade nas empresas

O assunto RF é realmente interessante e muito importante no aspecto do show businnes. Cada vez mais lotado e dotado de recursos adicionais pra possibilitar uma comunicação mais eficaz e livre de interferências.


É problema comum em festivais com muitas atrações e até mesmo micaretas por exemplo com vários trios elétricos se cruzando (rsrsrs). Como gerenciar e driblar tudo isso?

Na verdade os técnicos tem que se valer de um jogo de cintura grande para fugir dos problemas.

Em tempo, as empresas fabricantes de produtos sem fio, quer sejam microfones, ear’s e transmissores de instrumentos já entram nesse novo espectro a fim de solucionar grande parte desses problemas. Os recursos e facilidades são diversos, desde já ter um canal de frequência stand by caso a atual falhe e a mesma entre em operação sem a intervenção do operador, como coordenar-se sozinho junto a dispositivos iguais, ou seja, várias quantidades do mesmo aparelho, os próprios se organizam na distribuição de frequências e não haver conflitos. Outra promessa desses novos recursos é poder ter uma transmissão mais distante entre transmissor e receptor.

Operando na faixa de 2,4ghz alguns fabricantes afirmam não sofrer interferências, como também não causar problemas em redes Wi-fi e sistemas Bluetooth, querendo oferecer uma solução pra algumas tour’s onde a outra faixa de espectro de certo modo é considerada congestionada.

A questão é que não sabemos o quão congestionado essa faixa de frequência está ou vai ficar. Ficamos esperando se vai vingar ou não essa nova tendência de transmissão. O certo é que muitas empresas já aderiram ao novo espectro como AKG, Audio-Technica, Behringer, ClearCom, Rode, Samsom, Sennheiser, Shure e Sony. Com certeza não estariam lançando esses produtos na perspectiva de dar algo errado. A Line 6 foi pioneira na implantação do 2,4ghz nos seus sistemas sem fio e já trabalha sem problemas há algum tempo.

Vou deixar uns links de algumas empresas (lógico que tem muito mais) pra que vocês amigos leitores possam pesquisar também sobre esses novos produtos.

Abraço a todos e um viva a sociedade camisa preta do backstage!

 

AKG
http://www.akg.com/pro/p/dmstetradsystem

Audio-Technica
http://www.audio-technica.com/cms/wls_systems/c7799684d1613a74/index.html

Line 6
http://line6.com/wireless-microphone-system/

RODE
http://www.rode.com/wireless/filmmaker
Sennheiser
http://sennheiser-d1.com

Shure
http://www.shure.com/americas/products/wireless-systems/glxd-digital-wireless-systems

Sobre Carlos Rossy

Carlos Rossy é colaborador do audioreporter, trabalha e mora atualmente em Curitiba-PR como técnico de PA da cantora Heloisa Rosa e no Studio Bamboo. Recentemente na locadora Somatéknica Audio Profissional e em bandas pelo nordeste. Escreve no seu próprio blog em www.carlosrossy.blogspot.com

Confira também

Quanto vai de Sub? - Parte 1 3

Quanto vai de Sub? – Parte 1

De tanto ver um interesse e procura no assunto subwoffer’s pelos técnicos na atualidade saí a procura de opiniões para compor as ideias nesse post.

2 comentários

  1. Carlos, interessante a matéria. O que achei estranho (e talvez curioso pra saber como funciona) foi os fabricantes dizerem que não interferência, nem problemas com redes Wi-Fi, sendo que as tecnologias IEEE 802.11g e, até uma mais recente, a 802.11n funcionam em 2,4 GHz também. Talvez eles estejam apostando isso no futuro a médio prazo, quando o novíssimo 802.11ac deve ser tão comum quanto o 802.11g. Aí este só 5 GHz. Agora, dependendo da aplicação, não envolvendo Wi-Fi por perto, nem um monte de dispositivos Bluetooth ligados (que também utiliza essa faixa), nem rádios amadoras… ou então eles estão com uma tecnologia que analisa as frequências do meio e configura automaticamente para utilizar a banda com menos interferência, provavelmente acima de 2.472 Hz, que é um dos últimos canais mais usados em Wi-Fi. De qualquer forma, bem interessante.

    • Carlos Rossy S Kramer

      Oi Jonatas, desculpe a demora em responder seu comentário. Eu fico preocupado sim quando falamos de uma banda de certo modo congestionada. Passei por uma experiência complicada onde faço muito uso do ipad na mix e um dos músicos tem um transmissor em 2,4ghz, onde estávamos numa praça e o sinal de qualquer wi-fi era complicado demais. O dispositivo dele que nunca falhou em canto algum, nesse dia ficou maluco e não houve solução… mesmo mudando as freqüências. Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: