fbpx
terça-feira , 11 maio 2021

Fazendo monitor em Post Fader

Por que você usaria seus auxiliares em POST Fader?

 

Eu sempre usei por dois motivos.

  1. Segurança
  2. Inteligibilidade

 

Segurança.

Imagine caso o canal do click, ou outro canal qualquer dê um problema, e agora imagine que os músicos estejam usando In Ear. Caso eu esteja usando em POST fader, ao abaixar o fader daquele canal, eu já me salvei e salvei os ouvidos dos meus amigos.

 

Inteligibilidade

Eu amo mixar! Caso eu esteja no monitor não farei diferente. Principalmente se for no caso de In Ear. Também é possível fazer em caso de Monitoração com caixas.

Eu sempre tento colocar todos os instrumentos na via de cada músico, para tentar deixar os fones mais musicais, ter apenas os instrumentos que o músico necessita, as vezes deixa a mix segura pra ele, mas cansativa, e pode fazer com que ele não siga a dinâmica do palco, tentando sempre deixar cada vez mais musical, tanto os fones como os monitores.

Eu coloco todos os faders em zero dB, meu Side-Fill  em um auxiliar estéreo, não no L/R do console.

Mixando fonesKadu Melo

A partir desse ponto, eu piloto os canais durante o show, aumentando ou abaixando para todos conforme pede a musica. (Isso já com cada musico já tendo sua mix preferida em seus fones)

Eu faço de tudo para que todos tenham seus fones estéreo. Caso fisicamente isso não seja possível, faço isso na maioria dos músicos que eu puder.

Agora a música por si só faz com que em determinados momentos, alguns instrumentos participem mais artisticamente durante uma musica ou em pequenos momentos.

Como fazer em POST fader?

Eu deixo todos os auxiliares em POST Fader e apenas o canal do instrumento em questão em PRE Fader.

Vamos supor que o guitarrista esteja no Auxiliar 5 e 6. (L e R do seu fone) E vamos supor que o canal da Guitarra dele esteja no canal 17.  Então no canal 17 no auxiliar 5 e 6 eu deixo PRE Fader e no restante em POST Fader.

 

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Porque?

 

Eu consigo pilotar a guitarra sem que o artista sinta diferença (pilotar através do fader do canal, comandando todos os auxiliares desse canal por estar em POST Fader).  Aprendi isso conversando com o Marcone Souza (Cascão, técnico de monitor do cantor Leonardo, entre outros truques que ele faz. https://www.facebook.com/marconecascao )

No caso de um solo de guitarra, ele por natureza vai aumentar o som de sua guitarra, seja por um booster em um pedal, ou as vezes na próprio instrumento, se eu achar que naquele momento seja necessário dar esse tempero ao palco sem que ele possa perceber em seus fones eu subo o fader do canal.

Se tudo estiver em POST Fader, ao levantar o canal de guitarra ele poderia sentir que a guitarra naquele momento iria ficar alto demais, sem saber que eu estivesse influenciando musicalmente, além de eu atrapalhar a performance eu ainda poderia mexer na dinâmica natural da musica.

Por isso que o canal 17 está em PRÉ Fader no auxiliar 5 e 6 (L e R do seu fone). Pois eu consigo esse tempero sem mexer em sua própria performance. A segurança dele é mais importante que a minha mix, ele está concentrado na música, não no som, então ele não pode e não precisa perceber que eu estou ”influenciando”, tudo tem que ser muito natural.

 

Você faz seus pequenos temperos, mais para poder dar inteligibilidade, de maneira sutil, fazendo com que os fones sejam mais musicais.

 

Lembre-se, tudo é bem sutil, tudo deve ser bem musical, como se você estivesse mixando um PA ou uma master em um estúdio, essas manobras tem que ser bem simples e discretas.

Os músicos não saberão que você está mixando, mas terminarão o show menos cansados e mais felizes.

A ideia é dar inteligibilidade e conforto, afinal, tudo é música!

 

No próximo texto , falarei em alguns truques ao usar dois canais de uma mesma fonte para otimizar a resposta em cada necessidade.

 

Bom som a todos!

 

Sobre Kadu Melo

Comecei minha profissão em 1997, trabalhando em bandas de bares e shows de pequeno porte. em 2000 ingressei na empresa paulistana Tukasom, onde obtive um Know How enorme. Em 2010 passei a trabalhar viajando com artista, Grupo Sensação, Bamdamel, Mafalda Minozzi, Pedro Mariano, Pedro e Thiago, Banda Hori, Fiuk, Jorge Ben Jor e Hoje com Fabio Jr. De 2011 a 2014 fui especialista de produto dos consoles Allen&Heath, onde aprofundei tecnicamente tanto na tecnologia como no mundo mais Business.

Confira também

Por que eu utilizo a curva de ponderação C ? 2

Por que eu utilizo a curva de ponderação C ?

É sempre muito complexo falar sobre curvas de ponderação, neste post falarei porque uso a curva C para o meu controle de PA.

12 comentários

  1. MUITO BOM .VOU EXPERIMENTAR HOJE MESMO

  2. Uma observação: usando post fader, todos ouvirão a mix do técnico, ok?
    Mas e quando esse técnico que está mixando não tem realmente noção de mixagem?

    • aí ele não deveria ser um técnico. Como vc assumiria uma função em que não está apto a exercer ?

      • Pois eh mas infelizmente tem muitos aventureiros no meio que se acham técnicos quando na realidade cairam de paraquedas na parada.

        • Concordo Paulo. Mas os aventureiros terão som de aventureiros, PRE ou POST será sempre um aventureiro.
          Ele nunca saberá interpretar esse texto, nem mesmo algo positivo que venha por qualquer parte.
          Espero que deixem de ser aventureiros e que virem excelentes proficionais!

    • Olá Paulo, tudo bem?
      A ideia é de mostrar mais uma maneira de mixar, de ser mais musical.
      A capacidade de compreensão ou de conhecimento para executar, se o mesmo quiser implementar o que ele leu, não pode ser misturado com o que queremos fazer, que é trocar ideias e conhecimento.
      O importante é fazermos parte de pessoas que tem a melhor das intenções para trocarmos informações e cada vez mais trabalharmos de maneira profissional.
      A ideia é sempre de somar!
      Boa leitura e opine sempre!

  3. Muito bom Kadu….. faço mto pouco monitor,mas quando fizer vou experimentar…abçoo

    • Obrigado Pita! Mesmo assim, as vezes ler algo do amigo, pode não servir para o hoje, mas faz nossa mente observar e fazer com que criemos novas maneiras de mixar! Espero aprender com você! Forte abraço!

  4. Sempre trabalho em palcos pequenos, então PA e Monitor são na mesma mesa, eu uso o recurso do pós fader por exemplo para o cantor quando ele esta usando ear e quer ouvir os instrumentos além de sua voz, o que eu faço, eu dobro o canal (alterando o patch) então o canal do PA não vai para o ear, utilizo o segundo canal para o ear para ter um recurso extra de equalização, deixo o eq (dentre outros recursos se eu julgar necessário) da via do auxiliar para todos instrumentos, porém a voz eu consigo ter um ajuste mais fino, pois uso a eq do canal, principalmente quando o cantor quer ouvir algo muito similar do que esta rolando no PA! Os demais uso pré fader nas vias visto a limitação de canais (32) e pelo motivo que os ajustes no PA não podem influenciar nas vias. Agora se vc tem uma mesa/mixer exclusivo para o monitor é outra história!

  5. Boa tarde a todos!
    Acredito que para haver um bom resultado no produto final, que é um bom show, seguido do prazer do Artista, satisfação do público e o sentimento de missão cumprida dos técnicos e empresas de som, é necessário colocar uma engrenagem para rodar, onde o trabalho de cada um somado resultará em algo satisfatório e gostoso de se fazer e é claro ouvir. Rsrsrsrs!!! Os músicos produzem a arte e geram emoções e sentimentos com o que fazem… Os técnicos de P.A., tornam possível ao público viverem e ouvirem essa arte, o iluminador torna a arte visivelmente bonita, e os técnicos de monitor? Precisam criar recursos como estes sitados pelos colegas, para fortalecer e trazer uma dinâmica e prazer na atuação do artista.
    A cada dia que leio essas matérias, aprendo mais e me torno cada vez mais apaixonado por Áudio. Um forte abraço a todos.

    Sandro Rosa.

  6. É um tema bom. Como em grande parte da minha vida no áudio foi nos monitores, já utilizei muitas vezes em pré e em pós. Minhas decisões dependiam também do estilo musical e dos músicos que a ocasião me permitia. Além claro da segurança, inteligibilidade, fadiga e musicalidade. O que vale é experimentar e buscar a melhor opção.
    Se os auxiliares estão em pós, não necessariamente será obrigado a ouvir a mix do técnico. E se o técnico não tiver noção de mixagem, ou ele vai buscar ter, ou vai perder o emprego.
    E se o músico não tiver noção de mixagem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: