quinta-feira , 20 setembro 2018
Início / Dicas / Saiba tudo sobre microfones – Parte 1

Saiba tudo sobre microfones – Parte 1

Vamos iniciar uma série de posts para falar tudo sobre microfones. Na primeira parte falaremos dos tipos de microfones quanto a sua construção. As mais utilizadas são: a dinâmica, a de fita, a condensador e a piezoelétrica.

TIPOS DE MICROFONES QUANTO A SUA CONSTRUÇÃO

 

Microfones  Dinâmicos  ( Bobina Móvel ) 

Se baseiam  no princípio eletromagnético. Sempre que movimentamos um fio condutor dentro do campo magnético de um imã, ocorre a indução de tensão elétrica e aparece corrente em suas extremidades. O microfone dinâmico é o que mais se assemelha a um alto-falante. Isto porque, consiste em uma membrana ou diafragma, acoplado a bobina de fio muito fino, mergulhada em um campo magnético de um imã fixo. O diafragma é sustentado por uma suspensão elástica. Quando esse conjunto se mexe, movido pela variação de pressão do ar ( normalmente causado por uma onda sonora ), aparece no fio da bobina uma variação de corrente análoga ao movimento mecânico sofrido pelo conjunto, pois sempre que se movimenta um fio condutor dentro do campo magnético gerado por um imã, ocorre indução elétrica e aparece corrente nas extremidades desse fio. A massa do conjunto ( diafragma + bobina ) e a elasticidade limitada da suspensão impedem que variações muito pequenas de pressão consigam colocá-lo em movimento. Por isso o microfone dinâmico não tem boa sensibilidade e não consegue reproduzir fielmente sons de baixa intensidade. Por outro lado existe a possibilidade de saturar o microfone dinâmico, através de movimento exagerado do diafragma, que solicita demais a suspensão e produz distorção. Com isso ele é um microfone que possui uma certa  limitação dinâmica. Ele não funciona baixo e também tem a tendência de saturar se for em um nível muito alto.


Características :

  • Microfone duro ( menor sensibilidade )
  • Não necessitam de alimentação
  • São microfones robustos e geralmente bastante pesados

 

 

Microfones de Fita
Esquema de um microfone de fita

O inconveniente da “dureza” dos microfones dinâmicos levou os projetistas a criarem uma variação desse tipo de microfone. Foi aí que surgiu o microfone de fita. O diafragma foi substituído por uma finíssima fita corrugada de metal ( inicialmente de alumínio) que fica suspensa pelas pontas, dentro de um campo magnético de um ímã. O sinal elétrico gerado é pequeno se comparado com os microfones dinâmicos de bobina móvel, mas como a massa do conjunto móvel é menor, os microfones de fita possuem baixa condição inércial. Entretanto, são muito menos robustos, visto que a fita é estirada verticalmente e por isso fica sujeita a grandes variações de pressão, o que pode facilmente arrebentá-la. Além disso, um transformador na saída é necessário para dar ganho e corrigir a impedância do sistema. A resposta de freqüência é mais “flat” em relação aos dinâmicos de bobina móvel, mas microfones de fita podem apresentar picos de ressonância geralmente em freqüências mais baixas.

Leia Também:


Características :

  • Microfone macio ( som mais natural )
  • Microfone Frágil  ( fragilidade do conjunto)
  • Facilidade de saturação ( sons de intensidade exagerada )

 

 

Microfones Condensadores

O microfone condensador utiliza outro princípio para a conversão de pressão sonora em variação de corrente elétrica. Nele há duas placas metálicas que são eletricamente carregadas. Uma delas atua como um diafragma e portanto, pode se mover com a variação de pressão. A outra é fixa. Quando colocamos duas placas metálicas paralelas com um dielétrico (isolante) entre elas, criamos, na verdade, um  capacitor. A variação da pressão sonora faz com que a placa móvel entre em movimento, alterando o espaço entre as duas placas. Isso provoca variação de capacitância, gerando uma diferença de potencial elétrico, que pode ser amplificada para um valor utilizável. Para aumentar essa pequena voltagem, uma válvula ou um transistor podem ser utilizados com pré-amplificadores. É justamente por isso que podemos ter microfones valvulados ou transistorizados. Ambos não passam de microfones condensadores, com o estágio de pré-amplificação embutidos no próprio microfone. É justamente aí que entra o Phantom Power para alimentar o circuito eletrônico do pré-amplificador e para carregar a placas do capacitor, polarizando-as. Microfones condensadores são extremamente eficientes e tem alta sensibilidade, pois a placa metálica, que funciona como diafragma, é, na verdade, uma película de plástico banhada por uma fina camada de metal condutor (normalmente ouro) tornando-a muito leve. Isso também faz com que a velocidade de reação desse tipo de microfone seja muito rápida, oferecendo melhor resposta a transientes e às altas freqüências. Hoje em dia, talvez sejam os microfones mais utilizados em diversas aplicações, pois as novas tecnologias utilizadas na fabricação dos pré-amplificadores possibilitam exposições a pressões sonoras superiores a 140 decibéis.


Características :

  • Vasta gama dinâmica
  • Baixa tendência a saturação
  • Muito macio
  • Suporta níveis muito altos
  • Necessita de uma fonte de alimentação para funcionar

 

 

Microfones Piezoelétricos

O microfone piezoelétrico, também conhecido como cerâmico ou cristal, não tem nada haver com os demais. Nele contem alguns cristais ou tipos de cerâmicas especiais que possuem características piezoelétricas, ou seja, eletricidade por pressão. A partir da deformação do cristal é gerada uma tensão que é proporcional ao deslocamento das ondas de som. Estes dispositivos podem receber pressão direta ou através de diafragma acoplado ao cristal. Se o este for exposto a uma temperatura igual ou superior a 55 graus, perderá todas as suas características permanentemente, portanto são muito sensíveis ao calor e a umidade. Os microfones que utilizam cerâmica de Barium, apresentam características similares aos cristais, e são mais resistentes à variação de temperatura. Atualmente os cristais são muito utilizados em captadores de alguns instrumentos musicais, não sendo mais utilizados na construção de microfones devido a sua baixa qualidade de áudio, além de possuírem alta impedância de saída.


Características :

  • Muito frágil
  • Baixa qualidade de audio capitado
  • Muito duro

 

 

Fonte: Sóllon do Vale e Apostila do IAV

 

Continuaremos no próximo post a desvendar tudo sobre microfones!  Aguardem!

Sobre Geu Bahia

É colaborador do Áudio Repórter e engenheiro de som. Atualmente comanda os monitores das bandas Asa de Águia e FIlhos de Jorge.

Confira também

Dicas de ProTools – Workspace

O objetivo desse artigo é apresentar uma visão diferenciada da ferramenta workspace em que o usuário constatará que em sua utilização acarretará maiores benefícios para importação do arquivo.

%d blogueiros gostam disto: